Posts

Pesquisa de mercado de middleware de IoT para 2023

Mercado de middleware IoT por tipo de plataforma, tamanho da organização, vertical e região-previsão global para 2023-ResearchAndMarkets.com

Publicado em 21 de fevereiro de 2019

Pesquisa publicada originalmente by resaerchandmarkets.com

Distribuído por the Business Wire

Nesta pesquisa aprofundada criada por researchandmarkets.com-o líder global em pesquisa e Analytics-vamos obter uma visão detalhada sobre o mercado de middleware IoT de onde é hoje e onde ele vai ficar por o ano 2023. A pesquisa é feita em nível organizacional, vertical e regional. Para todos os que são curiosos pelo próprio termo, middleware IoT é o nome dado à estrutura arquitetônica que permite a conectividade com um grande número de diversos dispositivos IoT-powered, seja implantado em todo o mundo ou internamente, proporcionando controle central através sensores e camadas de software no ecossistema de Io

A fim de entender e ter um objetivo claro da estratégia de IoT, é imperativo que cada negócio deve ter uma firme compreensão da estatura atual e as possibilidades futuristas envolvendo o mercado de middleware IoT.

Portanto, não hesite em obter a sua cópia deste relatório de pesquisa surpreendente sobre o mercado de middleware IoT todo o caminho até 2023. Obtenha o relatório do link oficial abaixo:

IOT-middleware-mercado-pesquisa-para-2013-mercado-pesquisa-página

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

https://www.researchandmarkets.com/Research/2mprxp/iot_middleware

IoT Products Should Be Based On High-Quality User Input Data

How does a good product or service is created? It requires two essential elements: innovation or subjugation to massive public demand can bring about a once-in-a-lifetime product or service. Didn’t get the point? Let me give you an example: Microsoft Windows became one of the most widely used (and highest selling) products of the 21st century, and it was more of an invention than a public demand.  Likewise, JM Eagle™ is the largest seller of PVC pipes in the world, and that is more of a demand than an invention.  Therefore, IoT industry has just launched and beginning to expand, a great time for the leading manufacturers to carry out thorough user-end research and create remarkable IoT solutions/products.

 

Gartner has already published their research stating a whopping 8.4 billion IoT connected devices around the globe in 2017, and these estimations will only grow in the coming years. Therefore, this makes it more sensible for the major IoT providers to get in-depth user feedback, and based on their preferences, craft their IoT solutions and products. “Due to the fact that IoT had something of a very rapid emergence in the technology world, there is a high chance of it producing more in quantity (to overcome the need) rather in quality,” says Mr. Clovis Lacerda, founder of Parlacom Telecommunications Brazil, a mobile M2M/IoT service providers. The point which Mr. Lacerda has described is deeply entwined with qualitative user-end research to make relevant products and solutions.

 

There are various downfalls of not considering the user-opinion before providing them IoT solutions or products. First, the product, or the service, might get over-bundled with unnecessary features which may not adhere to the user requirements, or make it difficult for the user to adapt to them. Second, if this situation exists on a massive scale, it can greatly hinder the progress and the global implementation of overall IoT technology. Third, IoT firms may well suffer huge financial losses just because none of their products/services are literally resolving the actual problems existing at the consumer-end. Sounds like a real disaster, right?

 

However, with a little bit of open-minded and customer-centric approach, IoT businesses and the industry itself will easily survive its initial launching period quite successfully. And the reasons that we have given above to conduct high-quality are certainly not the only ones; there are a plethora of other important reasons for IoT companies to consider the voice of their targeted customers prior to providing a solution/product. Well, so much for the idea of gathering qualified consumer data to provide highly customer-centric and winning IoT solutions and products; let’s take a brief look at some of the valid problems that a company might face in initiating user research.

 

Many business owners/developers argue:

 

“Conducting user-end research is not important because we are the trendsetters.”

“A company cannot get a face-to-face idea of each individual.”

“A general user does not even have the basic knowledge of the technology; what is the benefit of talking to them?”

 

While these concerns may sound legitimate, yet they are still worthless when it comes to seeing the benefits provided by conducting high-quality user-end research. So, here are some basic ways IoT companies can still be of value to their users while overcoming the concerns mentioned above:

 

  • Focus on quality than quantity when it comes to researching.

 

  • Be very specific to your niche in IoT, and do not flow with the hype to get into every sector.

 

  • Try to focus on targeted audience’ problem in the research, and develop exclusive

 

  • IoT solution/product to effectively eliminate those customer issues.

 

  • Craft seamless methods to keep receiving customer feedback continuously after gathering their opinions.

 

Conclusion

 

So, whether you are a new or established IoT service provider, user research is going to play a very vital role in the contemporary evolutionary stage of the Internet of Things. We have every reason to believe that B2C companies that are highly customer-centric in IoT industry will be the ultimate toppers in the future. Make sure you develop and implement a qualitative user research plan right from today for your IoT firm.

Disney Lab’ Research Aims To Connect IoT Sensors With Ambient Waves To Transmit Data

These days some remarkable kind of advancements and researches are taking place in the IoT industry. One of them is the very recent from the Disney Research Labs, where a team of researchers is finding ways to connect IoT sensors with ambient ways to transmit data. What does this research mean for the world? Well, up till now the standard way of communicating and transferring data/information is via radio waves.

 

This latest research by Disney Lab scientists, if it accomplishes its task successfully, will give the world a new and much faster/concrete way to transmit data and information. The research has been led by Disney Lab Pittsburgh Associate Director Alanson Sample’s team, where they are examining an ultra-low system of IoT sensors to transfer data to a receiver via ambient waves. The task is carried on from commercial broadcasting systems that are abundant in most of the offices around the world.

 

“Apart from the rapid transferring of info and data, such a technique can end up reducing consumption of the power required by sensory nodes in a device,” says Clovis Lacerda, Founder of Parlacom Telecommunications Brazil, a well-known IoT/M2M firm in South America. In the practical demonstration of the experiment, researchers actually showed the very same aspect spoken of by Mr. Lacerda when they used a tiny bit of power to process the demo.

 

The project experiment by Disney’s scientists was shown at IEEE Conference on Computer Communication and INFOCOM 2017, where they demonstrated their system utilizing ambient waves to gather and transfer data from various signal towers in the vicinity, right into their indoor IoT mobile systems.

 

According to the team leader Mr. Sample, there is one major hurdle and that is the lack of resources to broaden the range of ambient waves in order to make them work properly for transferring data. However, if proper infrastructure is built, then ambient sources will proffer major benefits to broadcasting and IT services around the globe. For example, transmission of TV signals can be boosted to high-quality signal-to-noise ratio with the help of multi-ambient wave sources for signal transmission. Then there is the benefit of maximizing the range of coverage from broadcasting powers as well, where the usual range of 22 meters can be increased to 50 using ambient signal processing.

 

All of this will bring something close to a revolution in the IT industry on a global scale, making the transferring and quality of data/information improved by leaps and bounds. Mobile users will have fewer signal disruptions, TVs will scarcely lose signals, communication between outer space gadgets and Earth will improve, and the list goes on and on … But to reap the rewards finally, we’ll have to wait until the technology finally finds a proper implementation method and becomes ready for the world to utilize. We hope that this will happen very soon, so we keep our fingers crossed, and you should too!

Gartner recomenda aos CIOs Abraçar o Digital: Investimento do Brasil em IT cresce 5.7% em 2015

De acordo com a Gartner, Inc., uma empresa americana de pesquisa de tecnologia da informação e consultoria, os gastos de TI do Brasil estão previstos para um total de 125.3 bilhões de dólares em 2015, um crescimento de 5.7 % a partir de 2014. Esta é uma despesa projetada de 118.5 bilhões de dólares e, de acordo com a empresa, grande parte desse gasto será impulsionado pela economia industrial digital.

Cassio Dreyfuss, Vice-Presidente de Pesquisa da Gartner, forneceu a última perspectiva para a indústria de TI do país perante mais de 1400 CIOs e líderes de TI durante o Gartner Symposium/ITxpo que teve lugar em São Paulo. Dreyfuss disse que atualmente a maioria das empresas competem globalmente em todas as indústrias. E, apesar da desaceleração econômica, o Brasil demonstra que a Tecnologia da Informação está firmemente estabelecida na estratégia central das empresas, o que é considerado uma ferramenta de desenvolvimento de alta competitividade, na melhor das hipóteses e até mesmo em circunstâncias desafiadoras. Ele ainda acrescentou que software, serviços TI e serviços de dados móveis vão gerar um crescimento de dois dígitos em 2015, com forte demanda de TI em indústrias verticais, como serviços bancários e de valores imobiliários, manufatura, recursos naturais e mercados de consumidores.

Além disso, as projeções da Gartner mostram que o segmento de dispositivos no Brasil, que inclui PCs, tablets, celulares e impressoras, está projetado para alcançar um total de 19.1 bilhões de dólares, um aumento de 1% a partir dos gastos de 2014. Enquanto isso, os gastos com sistemas de data center deverão crescer mais de 3 bilhões de dólares, um aumento de 7% a partir de 2014. Outros segmentos, como os gastos com software vão totalizar 5.7 bilhões de dólares, acima de 13.7%; serviços TI irão alcançar 21.5 bilhões de dólares em 2015, acima de 13.7%; e serviços de telecomunicação devem chegar a um total de 75.9 bilhões de dólares em 2015, um aumento de 4.2% a partir de 2014.

Além disso, as projeções da Gartner mostram que o segmento de dispositivos no Brasil, que inclui PCs, tablets, celulares e impressoras, está projetado para alcançar um total de 19.1 bilhões de dólares, um aumento de 1% a partir dos gastos de 2014. Enquanto isso, os gastos com sistemas de data center deverão crescer mais de 3 bilhões de dólares, um aumento de 7% a partir de 2014. Outros segmentos, como os gastos com software vão totalizar 5.7 bilhões de dólares, acima de 13.7%; serviços TI irão alcançar 21.5 bilhões de dólares em 2015, acima de 13.7%; e serviços de telecomunicação devem chegar a um total de 75.9 bilhões de dólares em 2015, um aumento de 4.2% a partir de 2014.

O analista da Gartner vê uma grande e dramática mudança no investimento em TI no país, já que existe uma mudança na demanda e controle longe da TI, crescendo para as unidades de negócio digital que estão mais próximas do cliente. A Gartner ainda estima que 50% de todos os comerciais de tecnologia estão ativamente vendendo para as unidades de negócio, ao invés de departamentos de TI. Um grande número de representantes de vendas estão buscando por novos fluxos de dinheiro no fluido mundo digital, e eles estão descobrindo mais e mais clientes zelosos.

Clovis Lacerda, fundador e CEO da Parlacom Brasil, uma afiliada do Grupo de Empresas LeadingQuest, concorda com Dreyfuss na ideia de abraçar esta nova tendência. Lacerda acredita que cada empresa é uma unidade startup de tecnologia em si, principalmente empresas no Brasil. “A maioria das grandes cidades, agora têm ecossistemas consideráveis onde centenas a milhares de empresários startup estão altamente interligados para a criação de um público global.” disse Lacerda.

O analista da Gartner também observou que a Internet das Coisas vai gerar uma grande quantidade de nova informação. Embora as máquinas inteligentes venham a tratar de parte dela, empresas digitais vão também ter impacto sobre os trabalhos de várias maneiras. A sinergia entre famílias tecnológicas irá desencadear a criação de modelos e processos de negócio totalmente novos. A Gartner prevê que até 2018, as empresas digitais irão precisar de menos 50% dos trabalhadores de processos de negócio. No entanto, empresas digitais irão também conduzir a um crescimento de 500% em postos de trabalho digitais.

“O Brasil, sendo um dos maiores países em população, certamente tem um dos recursos mais ricos neste tipo de ecossistema. Com produtos e serviços digitais baratos e onipresentes, as startup digitais podem ajudar a penetrar e construir a economia do país, eventualmente reformulando indústrias e causando uma grande explosão digital, industrial e econômica.”, disse ainda Lacerda

Survery shows M2M Market status as Providers talk strategies

Infonetics Research, uma empresa de pesquisa de mercado que conduziu Estratégias M2M: Inquérito Provedor de Serviços Globais lançou resultados parciais ao público. A pesquisa foi descrever o perfil informações detalhadas sobre a (M2M) mercado de machine-to-machine. Vinte prestadores de serviços M2M em todo o mundo participaram do levantamento, as empresas contribuem para um quarto da receita de serviços M2M global.

O estudo analisa diferentes aspectos dos serviços M2M que estão oferecendo ou planejando para oferecer aos seus clientes, incluindo conectividade, provisionamento, instalação e relatórios. Ele também avaliou atual infra-estrutura, tecnologia, bem como fim a dispositivos como câmeras, medidores e terminais POS acabar. Também tidos em conta são características do serviço para incluir a cobertura, ferramenta de gestão, contrato de nível de serviço, mesmo preço e suporte.

Trechos do relatório mostrou que mais da metade tem tamanho considerável de conexões M2M, o que significa que eles podem fornecer, pelo menos, um milhão de conexões aos clientes localmente e globalmente. No entanto, de infra-estrutura, conexões M2M-wise ainda são predominantemente usando tecnologia 2G. Os resultados do inquérito revelam também que a solução M2M apresenta principalmente a cobertura nacional, ferramentas de gestão baseadas na web e SLAs.

Quase metade de todas as conexões M2M também giram em logística automotiva e de transportes, e aplicações de serviços públicos, tais como rastreamento de veículos, gerenciamento de frota, diagnóstico remoto para os veículos automóveis e os contadores inteligentes. A maioria dos prestadores de serviços acreditam que uma plataforma de serviços é necessária para saltar iniciar este tipo de negócio e mais de metade deles estão usando plataformas desenvolvidas internamente neste momento. A maioria dos prestadores de serviços acreditam que uma plataforma de serviços é necessária para saltar iniciar este tipo de negócio e mais de metade deles estão usando plataformas desenvolvidas internamente neste momento.

“Os nossos últimos serviços M2M mostra pesquisa provedor, M2M está agora escala para ser um negócio significativo para um bom número de prestadores em todo o mundo”, confirma Direção Analista de Infonetics Research, Godfrey Chua. Ele ainda acrescentou que, “A camada de líder de M2M jogadores cometeram recursos significativos para o desenvolvimento de seus negócios M2M e agora tem escala significativa para mostrar para ele. Eles têm estratégias no lugar e criaram unidades de negócios M2M autônomos composta de sobreposição de go-to- mercado e organizações técnicas. M2M já não é apenas uma extensão da unidade de negócios da empresa para estes”