Posts

Google Launches IoT Data & Devices Management Portal For Business

Google has taken the next step in making IoT a full-fledged reality in the business world by launching its dedicated Google Cloud IoT Core platform, IoT devices & data management portal for business. Google’s aim in creating this service is to provide businesses a better grip on the management of their IoT devices/data as well as to promote the commercialization of IoT technology. With this innovative IoT management service by Google, several types of businesses (specifically freight forwarding and transportation service) will enjoy huge benefits such as seamless, cost effective, and faster follow through.

“Google Cloud IoT Core will not only expand the probabilities in IoT, it will also help in the rapid adoption and betterment of the overall IoT infrastructure we currently work with,” says Clovis Lacerda, Founder of Parlacom Brazil, a South American IoT/M2M solutions provider. As each day progresses, demand for cloud-based IoT management portal has been on the rise. Particularly for such behemoth IT companies like Microsoft, AWS (Amazon Web Services), and Apple, premium cloud b2b consumers (who are adopting IoT) continuously demanding a robust and secure IoT management portal to manage the data and the IoT devices properly.

As a matter of fact, Google’s decision to make this IoT management portal a generic service to all of their cloud-based b2b consumers will have a strong impact on the industry. First, it will maximize the competitiveness in the fast-growing IoT industry. Second, the generalization of IoT management portal as-a-service will help in the improvisation of IoT evolution.

Numerous companies around the globe are dealing with tons and tons of data each day coming right from their deployed devices throughout various locations. Additionally, these devices are varied in range as well such as from a vehicle to a small sensor fitted in some machine. Collecting, evaluating, and proper deciphering of inbound data (often known as “Big Data” in technological terms) is a very crucial part for these companies.

IoT management services provided by Google in the form of its Google Cloud IoT Core (or other IoT firms for that matter) helps process and seamlessly manage this “Big Data” and the connected devices sending all of that information back to the central headquarters. Incorrect or even minor delay in proper response may have serious consequences, especially if the services is related to transportation or security.

But things will not only stop at Google’s offering, IoT companies around the globe also need to speed up their innovative operations to facilitate business with well-coded IoT apps. One thing is for sure with all of these developments, IoT is here to stay and surely grow on to become a major IT industry in just a few years. If you are an IoT service provider yourself, make sure you immerse in the game right away to reap rewards later on.

A Parlacom Brasil Apoia a Iniciativa do Governo de Impulsionar o Crescimento da Produção Automóvel

eículos inteligentes, carros híbridos e elétricos são apenas uma das muitas tendências em tecnologia. E, embora não a primeira no Brasil e na América Latina, o governo brasileiro quis fazer parte deste mercado promissor, prometendo incentivos para os fabricantes de veículos híbridos e elétricos no início da cerimônia do Salão Internacional do Automóvel de São Paulo na última quinta-feira. O evento, que vai acontecer até 9 de novembro, foi inaugurado pelo Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Mauro Borges, e deverá atrair cerca de 800 mil pessoas do Brasil e de toda a América Latina.

O Brasil é um dos maiores mercados automóveis do mundo e um dos maiores fabricantes de veículos do mundo. No entanto, 2014 foi um pouco decepcionante para a maioria dos principais intervenientes do país. No entanto, Borges disse que o Brasil irá fazer ajustamentos na área econômica para retomar o crescimento sólido que ele apontou como essencial para a fabricação de veículos. Ele está confiante que o crescimento econômico do país será retomado em 2015, o que coincide com o início do mandato da presidente recém-eleita Dilma Rousseff. E a iniciativa tem como objetivo estimular o crescimento econômico do país e manter a produção automóvel.

” Temos de trabalhar para estimular a cadeia de tecnologia. O governo da presidente Dilma (Rousseff) vai trabalhar para incentivar os automóveis híbridos e elétricos,” disse Borges. A fabricação e produção de veículos, e o seu efeito sobre a versatilidade urbana foram as primeiras questões que tiveram a atenção das autoridades e dos administradores do setor de veículos no primeiro dia do referido evento. O Prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, até iniciou uma verdadeira campanha para estabelecer a bicicleta, pistas de ônibus e outras opções de transporte.

A produção de veículos e seu impacto na mobilidade urbana foi um assunto abordado por autoridades e executivos do setor automóvel no primeiro dia do encontro em São Paulo, onde o Prefeito Fernando Haddad deu início a uma verdadeira cruzada para estabelecer ciclovias e pistas de ônibus designadas.

Clovis Lacerda, fundador da Parlacom Brasil, um dos maiores fornecedores de soluções máquina-a-máquina (M2M) jo país, apoia a iniciativa do governo. “Com milhares de fabricantes, fornecedores, desenvolvedores e programadores de vários setores, todos com o objetivo de conectar tudo a uma rede das coisas, conhecida com a Internet das Coisas (IoC), não é uma surpresa que a comunicação M2M esteja na vanguarda de tudo isso”, ele disse.

Lacerda observou ainda que isto será uma grande oportunidade, não só para os fabricantes de veículos mas também para os fornecedores e operadoras de soluções M2M. “Todos podemos tirar partido desta oportunidade e aproveitá-la para sustentar o crescimento na produção automóvel, bem como expandir em outros mercados verticais como a Telemática e Serviços de Rastreamento, Serviços de Informação e Lazer de Veículos e Serviços de Carro Conectado.

Anatel Aprova Uso de Frequências 70-80GHz para M2M

A Anatel, a Agência de Telecomunicações do Brasil, liberou para as operadoras o uso de frequências entre 70 a 80 GHz de espectro de bandas para aplicações máquina-a-máquina (M2M) e serviços da Internet das Coisas (IoC). Isto foi oficialmente lançado em um comunicado recente da agência.

As faixas de frequência atribuídas para o uso da M2M e IoC estão localizadas entre 71-76 GHz e 81-86 GHz. De acordo com a agência reguladora, elas serão principalmente usadas para “sistemas de comunicação rádio digital de serviço fixo ponto-a-ponto.” Estas faixas vão permitir conexões de sistemas de ponto fixo com taxas de transmissão muito elevadas, mesmo em distâncias relativamente curtas. Um exemplo para isto é um sistema ou serviço de troca de dados peer-to-peer.

A Anatel está permitindo o uso destas frequências como um “backhaul sem fio”, especialmente quando estruturas fixas não são mais capazes de se conectar às operadoras através de antenas, uma vez que a frequência substitui a fibra óptica em áreas urbanas em toda a região. A iniciativa do governo é altamente elogiada pela maioria, principalmente as transportadoras e as operadoras. A Parlacom Brasil, uma das principais fornecedoras de M2M no Brasil membro do Grupo de Empresas LeadingQuest, é uma das primeiras a elogiar esta iniciativa.

” É uma grande iniciativa para reconhecer a necessidade de uma frequência ou banda dedicada para sistemas e aplicações máquina-a-máquina (M2M). As operadoras não precisam mais competir com o resto do Brasil durante a transmissão de informação importante e de missão crítica. Uma banda dedicada e especificação de frequência podem finalmente tornar a transmissão de dados mais rápida e em tempo real, criando sistemas M2M mais eficientes e competitivos. Afinal, é a principal razão para criar estas soluções M2M: maximizar a produtividade, aumentar a eficiência e gerar rentabilidade.” disse Clovis Lacerda, CEO e fundador da Parlacom e da LeadingQuest.

A aprovação para o uso destas frequências veio após a conclusão de um estudo conduzido pela VIvo/Telefonica, uma das operadoras e parceiros da Parlacom que estão totalmente aplicados em M2M e IoC. A Anatel também informou que o Brasil teve 9.2 milhões de conexões M2M em julho, após os cortes de impostos aplicados no início deste ano. A Parlacom Brasil está confiante que a iniciativa irá incentivar mais pequenos e médios negócios e empresas no país a começar a adotar a nova tendência.

“Este é o tipo de suporte que estas empresas precisam do Governo, incentivando-os a investir mais nas soluções certas. A maioria destas empresas apenas precisam de um pequeno empurrão. E na Parlacom, estamos incentivando um pouco mais com grandes promoções e sistemas de confiança.” apresentou Lacerda.

O Brasil Estabelece um Conselho de Administração de Regulamentação da M2M

O Ministério das Comunicações do Brasil havia feito uma previsão de que os terminais e dispositivos M2M irão aumentar para 23.3 milhões antes do final de 2016, um crescimento de cerca de 33% a partir dos 17.5 milhões no presente. Isto foi feito após a confirmação do corte nos impostos sobre taxas de instalação e inspeção de operação para os terminais M2M no Brasil. O regulamento visava reduzir os custos operacionais para a maioria das operadoras de telecomunicações brasileiras.

Após a aprovação do corte de impostos, o governo brasileiro também incentivou, tanto empresas locais como internacionais, a investir na crescente indústria de comunicações M2M do país. Um relatório mais recente do Ministério das Comunicações do Brasil (Mincom) mostra que o Brasil pode provavelmente atingir o número de conexões M2M anteriormente esperado, e isto é principalmente motivado pelos recém-aplicados incentivos fiscais, que reduzem as taxas TFI em 80%.

Com o número de conexões e dispositivos M2M crescendo, o Ministério das Comunicações do Brasil estabeleceu recentemente um Conselho de Administração para o desenvolvimento de sistemas máquina-a-máquina (M2M). O ministério tem como objetivo reunir informações de empresas que atuam no segmento. Artur Coimbra, Diretor do Departamento de Banda Larga no Ministério das Comunicações, disse que a responsabilidade do conselho de gestão inclui o acompanhamento dos desenvolvimentos da comunicação M2M, bem como o surgimento de novas aplicações M2M. O conselho irá também coordenar entre os prestadores de serviços de telecomunicações, fabricantes, operadoras, bem como empresas de pesquisa e desenvolvimento para melhorar e fazer avançar ainda mais a indústria M2M do país.

Coimbra acrescentou ainda que os membros do conselho vão também trabalhar na formulação de novas políticas públicas para este setor em crescimento do país. O ministério também espera que o mercado de equipamento M2M vá crescer exponencialmente em médio prazo.

Empresas de M2M brasileiras, como a Parlacom Brasil, uma das principais fornecedoras de máquina-a-máquina na América Latina, estão muito ansiosas para participar e coordenar com o Ministério para aumentar a cobertura M2M do país. “Com o Conselho de Administração no lugar, provedores e operadoras de M2M no Brasil estão ansiosos pelos vários programas e iniciativa que irão ajudar a fortalecer e impulsionar a indústria.”, afirmou Clovis Lacerda, CEO e fundador da Parlacom Brasil.

M2M tecnologia avança Sistema Único de Saúde

Neste tempo e idade da tecnologia digital, as mudanças na quase todos os aspectos da vida humana são inevitáveis. Tecnologia em si está em constante evolução diária. Invenções, novos e melhores produtos são introduzidos no mercado a cada momento e em seguida. O sistema de saúde não é excepção. Embora, a maioria dos equipamentos médicos hoje ainda funcionam como unidades individuais, e médicos e técnicos ainda precisam colaborar para gerar um relatório sobre um aspecto específico da saúde de um paciente. Muitas vezes, eles teriam que operar sistemas, dispositivos e máquinas manualmente para gerar os resultados. Todo este processo tedioso não só implica muito trabalho, mas requer uma quantidade significativa de tempo.

Felizmente, o setor de saúde tem realizado essa ineficiência no sistema e está lentamente se adaptar às novas tecnologias que podem melhorar incrivelmente saúde. Os profissionais de saúde agora estão transformando a tecnologia máquina-a-máquina, também conhecido como E-Saúde, para fornecer mais serviços confiáveis ​​e avançados eficiência de custo para seus pacientes. Como resultado do custo rápida escalada das despesas médicas, bem como reformas de cuidados de saúde, especialmente em os EUA e outros países se adaptar a uma estrutura semelhante, prestadores de serviços médicos e instalações decidiu reforçar o papel dos dispositivos de saúde ligados no fornecimento de melhores serviços de saúde.

Um relatório da Machina Research analisou o impacto da eventual adoção da tecnologia M2M para o setor de saúde, seus resultados viáveis ​​e implicações. Autor do novo relatório Sector: Machine-to-Machine (M2M) Comunicações em Saúde 2013-23 e Machina Research analista principal, Andy Castonguay disse que, “Em um país como os Estados Unidos, com despesas de saúde se aproximando de 20% do PIB nacional , a tecnologia M2M pode muito bem fornecer a única abordagem mais promissora para a expansão dos serviços de cuidados de saúde de uma forma rentável.”

“Embora a dinâmica de custos dos cuidados de saúde são um factor-chave levando inovação para o campo, ligado dispositivos e aplicações de saúde também estão provando ser um elemento-chave em melhorar o engajamento do paciente e saúde.”

World Health Graph

CEO LeadingQuest, Clovis Lacerda concorda com o Sr. Castonguay nesta vista. Segundo o Sr. Lacerda, Tecnologia M2M é a melhor forma de avançar com o sistema de saúde e eliminar problemas como longos períodos de espera. Seria também muito para os prestadores de cuidados de saúde custo-eficiente e pode salvar-lhes milhões de dólares. Fornecendo M2M Healthcare Solutions é uma das principais serviços que LeadingQuest e Parlacom Brasil oferece aos seus clientes. Estes são personalizados soluções M2M E-Saúde e aplicações que foram efetivamente utilizados em instalações de cuidados. Ele ainda mencionou que Parlacom Brasil está aprimorando seus serviços, e está olhando para investir mais nesta área para aumentar a força de vendas.

A partir do mesmo relatório da Machina Research, M2M conectados dispositivos para o setor de saúde está prevista para bater 847,000 milhões em 2023. Neste relatório, a América do Norte será o maior, atingindo 386 milhões de conexões, seguido por Europa e os países desenvolvidos na Ásia-Pacífico. E a indústria de Healthcare irá gerar uma receita total de 90.900 milhões dólares a partir de tecnologia M2M.